Vídeos aulas da correção do Enem 2013 e 2014 — Matemática

enemVídeos aulas da cor­re­ção do Enem 2013 e 2014

Cor­re­ção, em vídeo aulas, do Enem 2013 e 2014 — Mate­má­tica, rea­li­zada pelo Prof. Me. Ubi­ra­tan Arrais (ubiratanarrais@diadematematica.com.br) da equipe de asses­so­ria e for­ma­ção do diadematematica.

FONTE: IPED

, , , ,

Comentários

Revista Super Interessante: 101 livros que mudaram a humanidade

101

,

Comentários

A música dos Números Primos

A música dos núme­ros pri­mos: a his­tó­ria de um pro­blema não resol­vido na matemática.

Numa nar­ra­tiva rica e abran­gente, ‘A Música dos Núme­ros Pri­mos’ conta a his­tó­ria de um dos mai­o­res pro­ble­mas da mate­má­tica, que cul­mi­nou, em mea­dos do século XIX, com uma hipó­tese do ale­mão Ber­nhard Rie­mann: era pos­sí­vel haver har­mo­nia entre os núme­ros pri­mos, seme­lhante a uma har­mo­nia musi­cal. A par­tir de então, as men­tes mais ambi­ci­o­sas da mate­má­tica embar­ca­ram nessa pro­cura que parece não ter fim.
O relato desse ver­da­deiro Santo Graal da mate­má­tica, feito pelo bri­lhante pro­fes­sor de Oxford Mar­cus du Sau­toy, tam­bém pes­qui­sa­dor da Royal Soci­ety, apa­rece aqui pon­ti­lhado de casos inte­res­san­tes e retra­tos pito­res­cos dos per­so­na­gens que, desde Eucli­des, se envol­ve­ram nesse estra­nho mistério.

Fonte: Issue

, ,

Comentários

500 questões de matemática

Exer­cí­cios de Mate­má­tica resol­vi­dos e comentados.

,

Comentários

Teoria das cordas

teoria das cordasA teo­ria das cor­das é um modelo físico cujos blo­cos fun­da­men­tais são obje­tos exten­sos uni­di­men­si­o­nais, seme­lhan­tes a uma corda, e não pon­tos sem dimen­são (par­tí­cu­las), que eram a base da física tra­di­ci­o­nal. Por essa razão, as teo­rias base­a­das na teo­ria das cor­das podem evi­tar os pro­ble­mas asso­ci­a­dos à pre­sença de par­tí­cu­las pon­tu­ais (entenda-se de dimen­são zero) em uma teo­ria física tra­di­ci­o­nal, como uma den­si­dade infi­nita de ener­gia asso­ci­ada à uti­li­za­ção de pon­tos mate­má­ti­cos. O estudo da teo­ria de cor­das tem reve­lado a neces­si­dade de outros obje­tos que não pro­pri­a­mente cor­das — incluindo pon­tos, mem­bra­nas e outros obje­tos de dimen­sões mais altas.

O inte­resse na teo­ria das cor­das é diri­gido pela grande espe­rança de que ela possa vir a ser uma teo­ria de tudo. Ela é uma pos­sí­vel solu­ção do pro­blema da gra­vi­ta­ção quân­tica e, adi­ci­o­nal­mente à gra­vi­ta­ção, tal­vez possa natu­ral­mente des­cre­ver as inte­ra­ções simi­la­res ao ele­tro­mag­ne­tismo e outras for­ças da natu­reza. As teo­rias das super­cor­das incluem os fér­mi­ons, os blo­cos de cons­tru­ção da maté­ria. Não se sabe ainda se a teo­ria das cor­das é capaz de des­cre­ver o uni­verso como a pre­cisa cole­ção de for­ças e maté­ria que nós obser­va­mos, nem quanta liber­dade para esco­lha des­tes deta­lhes a teo­ria irá per­mi­tir. Nenhuma teo­ria das cor­das fez alguma nova pre­di­ção que possa ser expe­ri­men­tal­mente testada.

Tra­ba­lhos na teo­ria das cor­das têm levado a avan­ços na mate­má­tica, prin­ci­pal­mente em geo­me­tria algé­brica. A teo­ria das cor­das tem tam­bém levado a novas des­co­ber­tas na teo­ria da super­si­me­tria que pode­rão ser tes­ta­das expe­ri­men­tal­mente pelo Grande Coli­sor de Hádrons. Os novos prin­cí­pios mate­má­ti­cos uti­li­za­dos nesta teo­ria per­mi­tem aos físi­cos afir­mar que o nosso uni­verso pos­sui 11 dimen­sões: 3 espa­ci­ais (altura, lar­gura e com­pri­mento), 1 tem­po­ral (tempo) e 7 dimen­sões recur­va­das (sendo a estas atri­buí­das outras pro­pri­e­da­des como massa e carga elé­trica, por exem­plo), o que expli­ca­ria as carac­te­rís­ti­cas das for­ças fun­da­men­tais da natureza.nota 1

O estudo da cha­mada teo­ria das cor­das foi ini­ci­ado na década de 60 e teve a par­ti­ci­pa­ção de vários físi­cos para sua ela­bo­ra­ção. Essa teo­ria pro­põe uni­fi­car toda a física e unir a Teo­ria da rela­ti­vi­dade e a Teo­ria Quân­tica numa única estru­tura mate­má­tica. Embora não esteja total­mente con­so­li­dada, a teo­ria mos­tra sinais pro­mis­so­res de sua plausibilidade.

Fonte: Wiki­pe­dia

Related Posts with Thumbnails

,

Comentários